domingo, 12 de julho de 2009

É permitido ser "gente"!






Ouvi outro dia uma história surreal: funcionários do Wal-Mart aqui de São Paulo (não sei se só daqui, nem ao menos se a história não é "estória"), devem obrigatóriamente seguir uma política imbecil, não sei se do RH da empresa ou da direção, que se chama algo parecido com a "política dos três metros". Ela preconiza que nenhum dos empregados pode dar mais que 3 passos dentro das lojas sem sorrir. Até então era uma "estória", mas agora no site do Estado de São Paulo de hoje, 12 de julho, li algo idêntico acontecendo no Japão(prova de que a imbecilidade é contagiosa). Para não dizerem que estou mentindo, aqueles que quiserem podem consultar diretamente a fonte:

http://www.estadao.com.br/noticias/geral,computador-vai-fiscalizar-sorrisos-de-funcionarios-de-trens-no-japao,401631,0.htm

Será que estes "seres" não percebem que gente não é máquina? Será que entendem que as pessoas "normais" ficam tristes, sentem dor, se emocionam, se distraem, se ocupam e se preocupam também?
Alguns profissionais de RH em breve vão comparecer (alguns apenas porque "virou moda") a novos seminários sobre a "terapia do sorriso". Já imagino o nome dos eventos:
"Agregando valor ao seu produto/serviço: O sorriso de seu empregado como diferencial competitivo no novo milênio".
Façam-me o favor! Bom atendimento, cordialidade e educação, não significa usar uma máscara! Os processos seletivos existem para contratar pessoas com todas as suas emoções, carências, deficiências e qualidades. Se não querem isto, economizem o dinheiro gasto com seleção e contratem robôs!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Praça do Mercado.