sexta-feira, 14 de julho de 2006


Livros de Auto-Ajuda - Parte VII ou, "A Ideologia de nosso tempo"

Sutilmente a ideologia se apodera de nossas entranhas, tal como um tumor silencioso que corrói nossas carnes. E ficamos doentes e não sabemos porque. Jovens, adolescentes e adultos se suicidando pelo mundo afora pois a pressão, a competição pelo sucesso pessoal para muitos é insuportável. Coreanos, e japoneses que o digam.
Alguns de nós estão de tal forma impregnados pela ideologia, que em um processo mimético a personificam, dando à mesma uma face adorável, no sentido de adoração, (ponto para ela), tal como os antigos deuses que Moisés ao descer do Monte Sinai com as Tábuas da Lei aboliu por ordem do Deus Único: -Não criarás imagem e não terás outros deuses diante de Mim”. Os novos deuses não são na realidade deuses, são diferentes representações do deus Ideologia.
Esportistas, modelos, cantores, escritores, pastores etc. que emprestam suas faces à ideologia vigente, enfim uma face para cada tipo de consumidor: os que apreciam esportes, os intelectuais, os casuais, os “crentes”, os musicais e assim por diante, mas todos nos vendendo o “mesmo valor” ou o mesmo deus: o deus sucesso!
O próprio Deus foi incluído nessa jogada, afinal Ele “vende bem” e o deus mercado numa estratégia de marketing bem elaborada (isso se chamava ludibriar), se aproveitou.
Criou ícones para todas as denominações e suas “bênçãos” são vendidas nas esquinas. Há os ícones evangélicos, católicos, todos embalados pelos últimos sucessos do mundo Gospel, muita dança, luzes e som, quanto mais alto e agitado melhor. Desta forma podemos usar nosso livre arbítrio não só escolhendo entre Nike ou Adidas, Phillips ou LG, mas também quanto à “marca” de nossos ícones divinais. Não trata-se de julgamento sumário, mas sim constatação do poder avassalador desta força invisível.