domingo, 13 de setembro de 2015


Final de semana chuvoso

Final de semana propício para ler, estudar e rever velhas lembranças. Descobri esta música em um CD de Dick Hyman. Trata-se de uma peça de Zez Confrey (USA 1985/1971) em três partes, chamada de "Three Little Oddities"  Impromptu & Romanza & Novelette. Me apaixonei pela Novelette, com sua intensidade sonora e aparente simplicidade. Procurei incansavelmente a partitura original desta peça, e só a encontrei de um vendedor americano, editada na primeira metade do século XX. Comprei-a e iniciei o estudo. Muito trabalho pela frente... Mas estudo de música é assim mesmo. Música de verdade. Horas de audição, estudo e prática. Isto me motiva, isto me enriquece! Há inúmeras correções a serem feitas, mas, segue uma "palhinha" dos estudos.
Nota: Não sei o porque, em seguida ao término de meu vídeo, surgem outros que não são de minha autoria. Não consegui descobrir o motivo disto. Apenas o primeiro vídeo foi realizado por mim.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Muro de Berlin Brasileiro - Pixuleco e Dilma Inflada


Acostumamo-nos ao longo dos últimos 13 anos, com a frase “martelada” incessantemente em nossos ouvidos, cunhada pelo inspirador do boneco inflável “Pixuleco”, afirmando com sua característica desfaçatez: “nunca antes nesse país...” seguida de alguma falácia ignominiosa.
Nunca antes neste país, digo eu, pós restauração das eleições diretas para todos os cargos executivos, presenciamos o despudor, acinte, ilegitimidade, isolamento deste mesmo governo hábil e contumaz na denúncia, “dos outros”, dos adversários, por eles taxados de inimigos e execrados em praça pública. Não imaginei que um dia reviveria o sítio à Brasília, relembrando atitude do então General Newton Cruz por ocasião da votação da emenda das diretas do deputado Dante de Oliveira em abril/1984, como pudemos observar nas comemorações do 7 de setembro na mesma Brasília. No lugar dos militares, intimidando a população como ocorreu em 1984, toma seu lugar o “exército” dos militantes petistas de 2015, chamados por Lula de “exército do Stédile” para cumprir sua missão abjeta de defesa do governo mais corrupto de nossa história. Só não foram observadas (pelo que eu saiba), cenas de violência, porque os manifestantes verde-amarelos, civilizadamente não respondem ao ladro do Lulo-petismo, sustentados a base de pão com mortadela, manteiga e suco de caixinha, financiados com dinheiro público subtraído com desenvoltura pelos inúmeros indiciados, alguns já condenados, políticos do PT e seus aliados, doleiros, diretores de estatais e empreiteiros.




Brasília cercada, literalmente, por um muro de aço! Para quem se vendia para a população como antípodas de um regime truculento, o PT mostra sua verdadeira face mimetizando Dorian Gray, com desprezo absoluto pelo povo real pagador de impostos, impedido de participar das festividades da Independência. Os pobres e excluídos de ontem, hoje fazem parte do governo, e usufruem das benesses que a proximidade com os “capos” lhes assegura. Os pobres e excluídos de ontem são hoje a elite governante. Seus acólitos, que prosperam nos chamados movimentos sociais (CUT, MST, MTST, UNE e outros), partidos aliados etc., refestelam-se no butim aos cofres públicos. Eles representam hoje os 7% da população que aprova o (des) governo petista. Mas curiosamente, os 93% “restantes” que desaprovam, é que são taxados de “elite”.
A nação (os 93%) encontra-se abandonada à sua própria sorte, pois com raras e louváveis exceções, as instituições não respondem adequadamente a necessidade imperativa de pôr um fim a lenta agonia que vivemos na economia, no trato da coisa pública, no respeito à lei, na confiança às autoridades, sejam elas civis, militares ou eclesiásticas, do executivo, do legislativo ou do judiciário. Volto a frisar que há exceções honrosas.
Grande parte da imprensa, também corrompida, faz ouvidos moucos às denúncias que surgem aos borbotões, não assumindo seu papel investigativo, limitando-se a reproduzir as justificativas que o “establishment” brasiliense regurgita em nossas salas pelos telejornais, em nossos colos ao lermos um periódico, ou em nossos computadores quando pela internet. Nossos lares estão emporcalhados com o eco das mentiras planaltinas, nossa dignidade de cidadãos está rota pelo cinismo do estelionato a que fomos submetidos pelo petismo, com o risco quase certo, de além de conviver novamente com índices inflacionários de 2 dígitos, sermos vitimados por nova derrama (preferiria os 20% originais da época do Brasil colônia), com o provável aumento das alíquotas da CIDE, IPI, IOF e eventualmente IR com a inclusão de mais uma faixa de 35%, impostos esses, que não necessitam aprovação pelo congresso.
O que poderia ser um “final com horror”, com a descoberta de mais um escândalo de corrupção petista, se as instituições fossem rápidas e nossas leis mais efetivas, o final seria horroroso, mas terminaria rapidamente. Entretanto, essas mesmas instituições optam pelo “horror sem fim” que representa o doloroso definhar do tecido social, da economia, da esperança, da crença em dias melhores, com o vai-e-vem dos “acordões”, dos recursos intermináveis, das CPIs que nunca chegam a lugar algum, da covardia das oposições, relegando o país à latrina da ideologia lulopetista / bolivariana. Continuam tentando mantê-lo (o governo) vivo com aparelhos, mas quem irá morrer será o povo, caso este leviatã não seja destruído rapidamente. Não podemos continuar a socorrê-lo. Não podemos dar-lhe sequer água. Porém o cidadão comum só dispõe da arma das manifestações. O congresso nacional é quem possui instrumentos mais efetivos, bloqueando todo e qualquer recurso capaz de fornecer sobrevida a este mandato presidencial, que galgou sua espuriedade nas mentiras arrotadas durante a campanha de 2014.  Igualmente o judiciário tem nas mãos a responsabilidade de resgatar-nos dos pérfidos que se alojaram como um câncer nas estruturas de comando da nação. Sergio Moro em Curitiba é um exemplo a ser seguido, assim como de outro digno brasileiro, Joaquim Barbosa que passam à história como os Brasileiros que fizeram a diferença!

domingo, 17 de maio de 2015

Email aos senadores do PSDB

Enviei hoje, mais um email aos senadores Serra e Aécio. Segue texto.





 
 
 
 
Excelentíssimos Srs. Senadores,
Como este é o terceiro email que lhes envio em menos de 1 mês, creio que seja desnecessário apresentações.
Na próxima terça-feira 19 de maio, teremos a votação no senado à indicação feita pela presidente Dilma do nome de Luiz Edson Fachin à função de ministro do STF.
Continuo aguardando a manifestação pública dos excelentíssimos senadores, e do PSDB, contrariamente a homologação deste nome, por todos os motivos que já conhecemos pela imprensa e pelos seus escritos disponíveis na internet.
O senador Alvaro Dias (futuro ex-político pois não se elegerá mais em minha opinião), optou contra a nação e a favor do PT. Que assuma seus erros e arque com as consequências políticas do mesmo.
Como eleitor do PSDB desde sua fundação, sinto-me no direito de cobrar uma posição firme deste partido, que por vezes mais me parece um adolescente em crise existencial sobre "o que quer ser quando crescer". A nação aguarda uma liderança que acabe com este descalabro, e isto deve ocorrer de forma democrática, dentro do estado de direito, portanto o papel dos Ilustríssimos senadores é fundamental. Eu, cidadão comum, não tenho mandato, os senhores sim. O que espero é apenas que cumpram o seu papel de opositores ao petismo que fez com que regredíssemos  uns 20 anos, no mínimo.
Respeitosamente,
Cidadão brasileiro e pagador de impostos
Ander Rosa da Silva

quinta-feira, 14 de maio de 2015

#FachinNao


Excelentíssimos Senadores,
Faço votos que o passeio por New York tenha sido proveitoso e edificante. De qualquer forma, continuamos aqui no Brasil real, na mesma situação: cada dia pior do que antes. Como suas excelências não estavam no Senado, aproveito para informá-los que a CCJ aprovou na última quarta-feira 13 de maio, o nome do sr. Luiz Edson Fachin para a vaga do STF. Ironicamente, no dia em que comemoramos a Abolição da Escravatura, a CCJ do Senado, aprova o nome de alguém, que pela proximidade com o partido governista (PT) e com os movimentos ditos "sociais", mais me parecem versões dos "camisas pardas" nazistas e almejam apenas nos acorrentar a sua ideologia putrefata. Entretanto a votação secreta que homologará em definitivo esta barbárie, será na próxima terça-feira 19 de maio. Faço votos sinceros que suas excelências possam dar o voto que o Brasil espera, contrariamente a mais este descalabro do (des) governo petista e influenciem os demais senadores da oposição (mesmo do PMDB que é da base do governo) a fazerem o mesmo. O excelentíssimo senador Aloysio Nunes cumpriu brilhantemente seu papel, inquirindo duramente o candidato à toga. Já o excelentíssimo senador Alvaro Dias, não entendo porque, decretou seu suicídio político com sua defesa. Todos os meus amigos do Paraná que nele votaram, estão arrependidos pelo voto a ele confiado. Não creio que ele consiga se reeleger mais, afinal, nossa memória não está mais "tão curta" como costumava ser. Ele (o senador Alvaro Dias) terá que agir como o José Sarney mudando seu domicílio eleitoral para conseguir algum cargo eletivo. Esta é minha opinião.
Na qualidade de eleitor dos Excelentíssimos senadores José Serra e Aécio Neves (para o senado por SP e para presidente, respectivamente), espero que também manifestem claramente sua posição contrária a indicação do candidato Luiz Edson Fachin, e façam todo o possível para influenciar seus pares no Senado Federal. É o que espero da oposição.

Atenciosamente,
O brasileiro, pagador de impostos.
Ander Rosa da Silva

terça-feira, 5 de maio de 2015

 OPOSIÇÃO DE ARAQUE





O nosso congresso, assim como o executivo, caminha em flagrante dissociação com a sociedade brasileira. O PT, que é o partido do governo, luta para conseguir respirar, com o nariz acima da linha do lamaçal de corrupção e conluios que construíram ao longo dos 12 anos de governo. As oposições, em especial o PSDB dá todos os sinais de que não quer meter a mão nesta cumbuca, talvez por receio de ser engolfada no tsunami da Lava-a-jato. Não temos oposição decente neste país. PSDB com Serra, Aécio, Aloysio, Alckmin, FHC e outros, não são oposição, são arremedos de congressistas, “ex-alguma coisa”, atuais “alguma-coisa” pois só sabem ficar sobre o muro ou entocados no subsolo tal qual suricatos: enquanto um “fica de olho” os demais se alimentam, e ao menor sinal de “perigo”, saem todos correndo para suas tocas esperando o perigo passar, para depois saírem corajosamente soltando imprecações contra o predador, que já distante, não lhes dá a menor importância. São inofensivos, insípidos, inodoros. Só não são incolores, pois mudam suas “cores” dependendo de qual lado do muro estão em determinado momento para se alimentar. Flertam com todas as correntes políticas ao prazer da maré do grande pântano que se tornou o Plano Piloto.  Merecem apenas a indiferença, e indignação da população, afinal são covardes que não nos representam dignamente. Aprovar o nome de Luiz Fachin para o STF será mais uma pedra acumulada para o sepulcro oposicionista, além das outras que já estão empilhadas ao lado da cova! A sociedade fará aquilo que eles, pagos para fazê-lo, não são capazes de fazer: representar no congresso o clamor do povo! Será que os milhões que colocamos nas ruas gritando Fora PT, Chega de Corrupção, Chega de Conluios não foi compreendido? Querem que desenhemos? Se não entenderam depois de 15 de março e 12 de abril, acho que nem Mobral resolve... é falta de vergonha na cara mesmo!




 PSDB quando desce do lado esquerdo do muro.

PSDB quando desce do lado direito do muro.